CEP-UEM APROVA A RETOMADA DO CALENDÁRIO ACADÊMICO
06/08/2019

A renovação dos contratos dos docentes temporários foi a principal motivação para a maioria do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão votar a favor do retorno do calendário acadêmico, no último dia 01. O governo publicou, no dia 31 de julho, um decreto autorizando as 18 mil horas semanais para a Universidade Estadual de Maringá, porém o calendário acadêmico deveria ser retomado. 

Na UEM, 100 professores teriam os contratos encerrados, prejudicando a continuidade de diversos cursos de graduação e pós-graduação. O governo prorrogou esses contratos até o dia 31 de dezembro de 2019. 

A manutenção da greve continua motivada pela garantia do TIDE (Regime por Tempo Integral e Dedicação Exclusiva) para os docentes temporários, a não inclusão no sistema META-4 e a reposição salarial defasada em 17%. De acordo com informativo dos sindicatos dos trabalhadores do ensino superior e dos docentes, somente a assembleia geral tem autonomia para decidir a suspensão ou não da greve. 

Para os alunos da EaD, as atividades presenciais permanecem suspensas até nova decisão da UEM.

Compartilhar no Facebook
Voltar